Síndrome Alcóolica Fetal: o consumo de álcool durante a gestação pode trazer complicações para o bebê

 Síndrome Alcóolica Fetal: o consumo de álcool durante a gestação pode trazer complicações para o bebê

Créditos: Freepik

A pandemia do coronavírus estimulou o consumo de álcool no Brasil. De acordo com o levantamento da Euromonitor, houve um crescimento de 5,3%

Segundo pesquisa feita pela Kantar, o consumo de cerveja atingiu a marca recorde de estar presente na rotina de 68,6% dos brasileiros maiores de 18 anos, entre o percentual estão mulheres gestantes. De acordo com o JAMA Network Open, o consumo de álcool por mulheres teve uma elevação de 19% durante o isolamento social (de 30 a 59 anos). O consumo de álcool deve ser desestimulado, principalmente, para pessoas que buscam engravidar e para as gestantes, tendo em vista que a bebida pode causar complicações no feto.  

Uma das complicações mais conhecidas é a Síndrome Alcóolica Fetal (SAF), que é um conjunto de sintomas que são desenvolvidos pelo feto a partir do consumo de álcool da gestante. A absorção da bebida se dá apenas 1 hora após o consumo e, dessa forma, passa a influenciar o desenvolvimento do bebê. Ele atinge o cérebro e provoca diversas alterações.

“A SAF atinge diretamente o desenvolvimento do feto, além de afetar o cérebro, ele ainda causa alterações faciais, microcefalia, malformações no sistema nervoso, cardíaco, urinário, digestivo e no esqueleto. Mesmo sem alterações visíveis, aquele bebê também pode apresentar dificuldades cognitivas. Então, é importante dizer, que o consumo de álcool pode ser prejudicial em todos os estágios de uma gravidez”, Dr. Ricardo Martins, obstetra e especialista em medicina fetal.  

Ao ingerir o álcool, ele entra na corrente sanguínea e vai para a placenta, nela ele não consegue ser metabolizado. Ainda não existem indicativos de quantidade segura para o consumo de bebidas durante a gestação, dessa forma, a recomendação é que a mulher se abstenha durante todo o período da gravidez para prevenir quaisquer efeitos da SAF. A Síndrome é uma das causas de déficit intelectual que podem ser prevenidas, buscar informação e seguir a orientação do seu ginecologista é um fator primordial.

“Muitas mulheres que estão tentando engravidar também são encorajadas a não fazer uso de bebidas alcoólicas pois é necessário preparar o seu corpo para a gestação e, muitas vezes, a mulher pode estar grávida sem saber que o consumo de álcool pode causar sérios riscos. O primeiro trimestre é um dos estágios mais delicados, é onde o seu bebê está desenvolvendo a medula, cabeça, membros, pulmão, coração e fígado”, comenta Dr. Ricardo Martins.

Tratamento

É necessário pontuar que a SAF não tem cura, apenas tratamento. Ele é feito por via medicamentosa e terapia comportamental. Com o acompanhamento médico e apoio familiar a criança pode amenizar algumas dificuldades causadas pela síndrome. Os pais, muitas vezes, precisam de treinamento para saber como lidar com alguma situações que possam surgir por conta da SAF.

Postagens relacionadas

Font Resize