Psicólogos orientam sobre como lidar com o luto na pandemia

 Psicólogos orientam sobre como lidar com o luto na pandemia

Segundo psicólogos, o luto coletivo causado pela pandemia tende a ser mais prolongado do que em épocas anteriores. A pandemia no Brasil passa pelo seu momento mais difícil. O país já passa a marca de 300 mil vidas perdidas. Em meio à crise instalada fica cada vez mais difícil estar próximo de parentes e amigos. São famílias que sofrem a perda de entes queridos e, muitas vezes, não podem estar perto em rituais de despedida e dar suporte no momento de luto, devido a necessidade de distanciamento social. Outro desafio no contexto de luto durante a pandemia por covid-19 são os casos frequentes de infecção e mortes de mais de um membro no mesmo ciclo familiar.  De acordo com psicólogos, o luto é uma resposta, uma reação à ruptura de um vínculo significativo para a pessoa. Esse vínculo é todo o investimento afetivo entre o enlutado e o ente que se foi. Segundo levantamento recente sobre o tema, o isolamento entre as pessoas e a impossibilidade de realizar os rituais de despedida podem causar impactos negativos prolongados no processo de luto. Marina Teófilo é psicóloga da Oncovie e explica como é possível administrar e lidar com o luto diante de tantas perdas de pessoas tão próximas, em tempos de pandemia. “É importante, neste momento, que saibamos aceitar o processo de luto sem minimizá-lo, sem cobrar uma melhora de si ou do outro e, se possível, sem comparar com outras perdas que já aconteceram. Muitas vezes não sabemos como reagir a essa situação que pode ser tão nova e desafiadora”, explica a Marina. Para a psicóloga, as despedidas de entes queridos fazem parte do processo de elaboração da morte de alguém. A sensação de vazio tende a ganhar mais intensidade nesse contexto de isolamento social, em que, muitas vezes, o direito de dar o último adeus tem sido retirado dos que ficam. “Às vezes não é preciso dizer algo. O silêncio com presença, um olhar mais compassivo, um abraço que é mais genuíno, por si só, são coisas que fazem a diferença para quem está passando por esse sofrimento”, explica. Luto coletivo Segundo psicólogos, durante a pandemia de covid-19 tem se percebido uma outra manifestação de luto, diferenciando de uma experiência individual e pessoal, considera-se a ocorrência de um luto coletivo, em que toda uma comunidade se depara, frequentemente, com a finitude da vida, convive com perdas e se questiona sobre suas concepções de vida e de morte.  “Quando nos deparamos com situações de crises como a da covid-19, é fácil perceber que nossas garantias foram afetadas. Alguns em maior e outros em menor intensidade. Quando choramos e sofremos as dores do outro, próximo a nós, também estamos chorando as nossas por meio das nossas dúvidas e angústias. Por isso, nós podemos elaborar nosso luto e ressignificar o que estamos vivendo”, explica Marina Teófilo. 

Reações físicas, comportamentais e emocionais comuns do luto 

• Hiperatividade• Dores• Baixa energia• Dificuldade para dormir• Perda de apetite• Náusea, problemas gastrintestinais (por exemplo, diarreia)• Tensão muscular• Tristeza • Raiva• Culpa• Desamparo• Solidão• Anseio pela presença do outro • Descrença.

Postagens relacionadas

Font Resize